terça-feira, 4 de setembro de 2007

Impressionismo

Semana passada começamos a falar do Impressionismo. Sempre admirei alguns pintores impressionistas, sem nem ao menos saber ao certo o que seria exatamente esse termo. Meu favorito sempre foi Cézanne. Ele tem uma pincelada rápida, meio que descompromissada, atraente.
E o Impressionismo é assim mesmo: ele quebra o realismo e a dramaticidade que o Barroco instaura até então. Os pintores Impressionistas buscavam a luz, indo contra a obscuridade predominante no Barroco. O Impressionismo foi o movimento artístico que mais revolucionou a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX.
A grande sacada acontece nas cores e nas tonalidades que não são obtidas pela mistura de tintas na paleta do pintor. Pelo contrário! Elas devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas. É isso que torna os quadros impressionistas tão diferentes e ousados. Somos nós que, ao admirar a pintura, combinamos as cores, obtendo o resultado final. A mistura deixa de ser técnica para ser óptica! Interessante, não?!



Bord, Serviet og Frugt - Paul Cézanne

Na verdade tudo começa em 1874 no estúdio do fotógrafo Nadar, em Paris, onde foi organizada uma exposição de pintores jovens que estavam insatisfeitos com o clima restrito e acadêmico da pintura oficial. Então, prepararam um catálogo dessa exposição com uma tela de Monet com o nome "Impressão: Nascer do Sol". Aí, no dia seguinte, um crítico do Jornal Charivari fala ironicamente do acontecimento, tachando-o de "exposição dos impressionistas". Nascia, assim, uma denominação que se tornaria famosa no mundo todo:
O IMPRESSIONISMO.
Apesar de combatida pela crítica e pelo público da época, que considerava os impressionistas ignorantes das regras tradicionais da pintura, hoje é reconhecida como a mais bela e a mais iluminada experiência da arte.


As Amapolas - Monet

Os grandes mestres do Impressionismo foram:


  • Paul Cézanne // Um cara que se preocupava com o estudo dos volumes e das formas puras. Mostrava o objeto de vários ângulos ao mesmo tempo. Doidera. Mas com essa "doidera" acabou abrindo as portas para outras mentes audaciosas... Pablo Picasso... Matisse...
  • Claude Monet // Esse sempre procurou retratar a impressão da luz, tentando capturar o "piscar" daquele momento único. Sempre perseguiu esse desejo. No enterro do velho impresssionista, uma bandeira negra recobria o seu caixão, mas foi logo retirada por um amigo do pintor que a substituiu por uma cortina florida e dizia: “Nada de preto para Monet!”.
  • Pierre-Auguste Renoir // Junto com Monet, amigo pessoal, formou o núcleo do grupo impressionista. Renoir queria retratar o belo e aquilo que o deixava radiante. Sua amizade com Monet o levou a pintar paisagens, mas nunca abandonou sua dedicação à leveza da figura humana. E é nisto que Renoir destaca com relação aos outros impressionistas. Sofria de artrite, mas ainda assim não deixou nunca a arte de lado. Chegou a amarrar pincéis na mão e produziu cerca de 6 mil obras!
  • Edouard Manet // Embora reconhecido por vários historiadores como o Pai do Impressionismo, Manet sempre rejeitou tal associação. Tanto que recusou participar de uma exposição organizada pelos impressionistas, em 1874, ano da eclosão do movimento. Foi um transgressor! E sua revolução começou ao redefinir a posição do artista diante da tela: lançar um novo olhar sobre a realidade. Afastou-se da corrente seguida por Monet e Renoir ao recorrer às referências do passado para construir sua obra. Enquanto os impressionistas se preocupavam com manchas e reflexos (e sobretudo com as sombras que para o grupo eram luminosas e coloridas) Manet elegia o preto como a cor vital de sua pintura!



"Com esse conceito revolucionário, o
Impressionismo abre, definitivamente, um
horizonte sem limite à arte moderna."






listen ........ Bach // Ensemble Slavonic Philharmonic // Presto Brandenburg Concerto nº4 in G major

4 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

Giovana Damaceno disse...

CARACA!!!!!!
Que aula!!
Vou mandar o Lincoln aqui. Tenho certeza que ele vai gostar disso.

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado

joelma Marques disse...

gostei de seu jeito de falar sobre o impressionismo. busquei aquela figura e me deparei com seu belo e claro texto. o incrível é que um dos melhores como Paul Cezanne, foi rejeitado pelos mais importantes pintores de Paris, pela crítica e pelo próprio público. Esse desprezo o fez isolar-se em Aix, pricipalmente após a morte de seus pais.
Joelma Marques.

c i n t i a disse...

É verdade Joelma!
uma pena não é mesmo!?

Obrigada pela visita!!!

Cintia

ShareThis