segunda-feira, 22 de junho de 2009


"Com a filha de João,
Antônio ia se casar,
mas Pedro fugiu com a noiva
na hora de ir pro altar!"



Gente, eu amo festa junina! Tirando Natal/Reveillón, essa é a comemoração que eu mais gosto (fora meu aniversário, ne? Rsrsrs!). Depois do Carnaval, essa é a festa mais comemorada e consagrada no Brasil. Escolas e comunidades são decoradas com bandeirinhas e barracas ao ar livre com aquelas comidinhas deliciosas, típicas da festa.

Quem não gosta de paçoca, pé-de-moleque, milho verde, arroz doce, vinho quente e quentão? Aqui na Região Sul Fluminense, interior do Rio, um salgado que já é tradição nessas festas é a Pìzza Frita e não pode faltar. Também são tradicionais brincadeiras como pescaria, argolas, tiro ao alvo e danças como a quadrilha e o forró.

As festas começam em junho, quando comemora-se os quatro santos mais conhecidos do Brasil: Santo Antônio (13/06), São João (24/06), São Pedro e São Paulo (29/06). Foram trazidas para o Brasil pelos portugueses e incorporadas aos costumes locais e alimentos típicos como aipim, milho, jenipapo. Incorporamos ainda as danças, como o forró, o boi-bumbá e o tambor-de-crioulo. Como no brasil tudo é uma grande mistura, a famosa quadrilha também veio de fora, da França, e aqui também foi incorporada com elementos nacionais.

Além desses detalhes, temos ainda a fogueira (amo!) que é acesa às 18h, horário da Ave-Maria, e é um elemento fundamental da festa. Tem uma lenda católica que conta que Isabel, prima de Maria, na noite do nascimento de João Batista, acendeu uma fogueira para avisar a novidade à Maria e assim, a fogueira se tornou um elemento imprescindivel na festa católica.

Fora isso, tem ainda outros elementos como os rojões, que são para afastar os maus espíritos, a cerimônia de levantamento do mastro, a conhedida "puxada de São João" e outros detalhes que acontecem nas festas interioranas mais tradicionais.

6 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

Cessel disse...

Reaproveitando postagem e tal. Hehehehehehe

cintia sibucs disse...

hehehehe! pois é, isso que dá escrever pra dois blogs... :P

Dj Ronan Sardela disse...

sócia, quem aponta o problema mostra a soluçao! Vc fala de um monte de coisa gostosa aí e n fala qndo vai acontecer a festa junina ou julhina pra gente poder ter a experimentaçãoprática disso tudo!!! BJo Fui

www.saladadepalavras.zip.net

POESIA EM VOLTA disse...

Vai fazer uma por aí??? Tô dentro. bjs

Giovana Damaceno disse...

Pois é. A nossa Secretaria de Cultura (isso existe em VR?) deveria resgatar esse tipo de evento na cidade. A de Santo Antônio, por exemplo, sempre tão tradicional, por ele ser o padroeiro da cidade, hoje é um trapo de festa, encolhida atrás da igraja. Ao invés disso fica bombando Exposição Agropecuária...

cintia sibucs disse...

Giovana, é verdade. Tenho frequentado a comunidade de Santo Antônio e participei mais de perto dessa festa e é impressionante como os voluntários se acabam nos preparativos e na execução da festa. Uma parte dos materiais usados são doados pela comunidade e a outra parte (a maior) é custeada pela própria Igreja. Há alguns anos atrás a festa se baseou apenas dentro do espaço da igreja, pois não tinha sequer a segurança da polícia local e a violência começou a tomar conta do evento.
Depois de muitas reclamações a festa voltou a ser do lado de fora e maior (como era no início). Eles tem pouco apoio e nem sei como ainda conseguem fazer essa festa encher tanto.
Eu sinto mesmo a falta da Quadrilha que tinha antigamente e da fogueira, que não existe mais. Pelo menos o sino da igreja toca anunciando a primeira missa de Santo Antônio no primeiro dia de festa. Esse ano eu estava lá, foi lindo!

ShareThis