sexta-feira, 28 de maio de 2010

Arte contemporânea em Roma

Nessas horas eu queria estar lá na Itália... rsrsrsr!
Bjs
Cintia
- - - - - - - - - -

Roma inaugura dois museus dedicados à arte contemporânea
27/05/2010 - 15h28

Carmen Pliego / EFE
"Cosmic Magnet", feita pelo artista italiano Gino de Dominicis (1947 - 1998) pouco antes de morrer, posicionada na entrada exterior do novo museu MAXXI, em Roma (27/05/2010)
    ROMA, 27 Mai 2010 (AFP) - Roma viveu um dia histórico nesta quinta-feira ao inaugurar dois espetaculares museus dedicados à arte contemporânea, projetados por célebres arquitetas, a anglo-iraquiana Zaha Hadid e a francesa Odile Decq, e concebidos para abrigar a cultura do terceiro milênio.

    O chamado MAXXI (Museu Nacional das Artes do Século XXI) de Hadid, com suas enormes salas de cimento armado e formas chamativas, iluminadas em grande parte com luz natural, pretende tornar-se uma referência para instituições artísticas públicas e privadas, tanto na Itália como internacionalmente.
    "Queria fazer uma homenagem a Roma, à sua fantástica luz e à sua incrível história estratificada", afirmou Hadid, que projetou espaços generosos, inundados de luz, com transparências e jogos de espelhos.

    MAXXI abre as portas ao público em 30 de maio, depois de três dias de festas.
    Para a inauguração, foram programadas quatro exibições. Além da seleção de esculturas, vídeos, pinturas e instalações da coleção permanente sobre o tema "Espaço", foi programada uma exposição dedicada ao controverso artista italiano Gino De Dominicis, cujo célebre esqueleto de 24 metros de comprimento com nariz longo e afinado, feito antes de ele morrer em 1998, adorna a entrada.
    Alberto Pizzoli / AFP 
    Vista do MACRO, Museu de Arte Contemporânea de Roma, durante abertura para a imprensa


      O museu, de 21.200 metros quadrados, dos quais 10.000 são destinados a salas de exposição, custou nada menos que 150 milhões de euros.

      Menos custoso (20 milhões de euros), mas igualmente espetacular, é a ampliação do Museu de Arte Contemporânea de Roma, o Macro, em outra região da cidade, abrigado em um edifício do início do século 20 e cujos novos 10 mil metros quadrados foram projetados pela excêntrica arquiteta francesa Decq.

      "Aqui, a cidade entra no museu e o museu sai à cidade", explicou a arquiteta, que joga com as alturas, reflexos, escadas e fachadas.

      Na sala principal foram instaladas obras de um dos pilares da chamada Arte Povera, Jannis Kounellis, assim como uma enorme pintura do pai do pop italiano, Mario Schifano, junto da instalação do indiano Subodh Gupta.


      Via: Uol Entretenimento

      5 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

      Marliborges disse...

      Ah, eu também queria estar lá! Já imaginou ver de perto essas maravilhas!!! bjsssss

      Suziley disse...

      Lá, realmente, é "belissimo" como dizem os italianos!! Arte pura!! Um bom domingo Cintia, beijos ;)

      Teté disse...

      POxa, que pena, as imagens não abrem aqui pra mim... fiquei curioso!
      Abraço!

      c i n t i a disse...

      Oi querido!

      Já arrumei as imagens lá na postagem, pra mim tb não estava aparecendo! Vai entender... coisas de internet! :P

      Abração!

      c i n t i a disse...

      Poxa, as imagens sumiram de novo!!!!!!
      Droga =/

      ShareThis