sexta-feira, 15 de julho de 2011

Leonardo da Vinci | Grandes Pintores


Um quadro (acima) atribuído a Leonardo da Vinci, que se pensava estar perdido, foi descoberto numa coleção privada nos Estados Unidos e vai ser exibido em novembro numa exposição sobre o artista renascentista na National Gallery, em Londres.

A descoberta da autenticação da obra - com o título "Salvator Mundi" e que representa a figura de Cristo - foi noticiada esta semana nos jornais britânicos citando um comunicado do museu sobre a decisão de incluir a obra na exposição sobre o pintor renascentista. A obra teria sido mostrada ao diretor do museu, a curadores e especialistas antes de ser sujeita a um trabalho de restauro que ficou concluído no ano passado.

A exposição intitula-se "Leonardo da Vinci: Painter of the Court of Milan" e estará aberta entre 09 de novembro de 2011 e 09 de fevereiro de 2012, constituindo, segundo a entidade, uma oportunidade para ser comparada com outros trabalhos do artista.

Na mostra irão figurar, entre outras, as obras "La Belle Ferronière", proveniente do Museu do Louvre, em Paris, a "Madonna Litta", do Hermitage, em São Petersburgo, e "Saint Jerome", da Pinacoteca do Vaticano, em Roma.

Os especialistas consideram que a pintura apresenta nitidamente o estilo de execução de Leonardo da Vinci e não dos seus seguidores e alunos.

Leonardo da Vinci além de grande pintor do Renascimento, também exerceu outras atividades no meio artístico como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico! Ufa! Muitas atribuições que só podem vir de um gênio, né? Além disso, da Vinci ainda ficou conhecido como o precursor da aviação e da balística. Frequentemente foi descrito como o arquétipo do homem do Renascimento, alguém cuja curiosidade insaciável era igualada apenas pela sua capacidade de invenção.

Além de todas essas façanhas, ele é considerado um dos maiores pintores de todos os tempos e como possivelmente a pessoa dotada de talentos mais diversos a ter vivido. Segundo a historiadora de arte Helen Gardner, a profundidade e o alcance dos interesses de Leonardo da Vinci não tiveram precedentes e sua mente e personalidade parecem sobre-humanos para nós, e o homem em si [nos parece] um tanto misterioso e distante.

Leonardo era, como é até hoje, muito conhecido principalmente como pintor. Duas de suas obras, a "Mona Lisa" e "A Última Ceia", estão entre as pinturas mais famosas do mundo, mais reproduzidas e mais parodiadas de todos os tempos, e sua fama se compara apenas à "Criação de Adão", de Michelângelo.

Mona Lisa (1503 - 1507 - Louvre)
O desenho do "Homem Vitruviano", feito por Leonardo, também é tido como um ícone cultural, e foi reproduzido por todas as partes, desde o euro até em camisetas. Cerca de quinze de suas pinturas sobreviveram até os dias de hoje; o número pequeno se deve às suas experiências constantes - e frequentemente desastrosas - com novas técnicas, além de sua procrastinação crônica ( ! ). Essas poucas obras, se juntam com seus cadernos de anotações - que contêm desenhos, diagramas científicos e seus pensamentos sobre a natureza da pintura - e que completam o acervo de da Vinci.

Estudo de um Cavalos (de um dos diários de Leonardo) - Castelo de Windsor
Leonardo é também reverenciado por sua engenhosidade tecnológica. Concebeu ideias muito à frente de seu tempo, como um protótipo de helicóptero, um tanque de guerra, o uso da energia solar, uma calculadora, o casco duplo nas embarcações e uma teoria rudimentar das placas tectônicas. Um número relativamente pequeno de seus projetos chegou a ser construído durante sua vida (muitos nem mesmo eram realizáveis), mas algumas de suas invenções menores, como uma bobina automática e um aparelho que testa a resistência à tração de um fio, entraram sem crédito algum para o mundo da indústria. Como cientista, foi responsável por grande avanço do conhecimento nos campos da anatomia, da engenharia civil, da óptica e da hidrodinâmica. Num estudo realizado em 1926 seu QI foi estimado em cerca de 180.

Enfim, Leonardo da Vinci é considerado por vários, o maior gênio da história, devido a sua multiplicidade de talentos para ciências e artes, sua engenhosidade e criatividade, além de suas obras polêmicas.



Leonardo pintou "A Última Ceia", um incrível trabalho, o mais sereno e distante do mundo temporal, durante anos caracterizado por conflitos armados, intrigas, preocupações e emergências. Ele a declarou como concluída, embora eternamente insatisfeito, e continuou trabalhando nela. Foi exposta a vista de todos e contemplada por muitos. Desde então ele foi considerado sem discussão como um dos primeiros mestres da Itália, senão o primeiro. Os artistas vinham de muito longe, para, no refeitório do convento de Santa Maria delle Grazie, analisar cuidadosamente a pintura, copiando-a e discutindo-a. O rei da França, ao chegar em Milão, acariciou a ideia impossível de remover o afresco da parede para levar para o seu país. Durante a sua realização inúmeras lendas foram tecidas em torno do mestre e seu trabalho.

"As mãos e os braços, em todas as suas ações, 
devem exibir a intenção da mente que os move, 
até quando for possível, porque, por meio deles, 
quem tiver um bom julgamento mostrará intenções 
mentais em todos os seus movimentos"

Leonardo da Vinci


Fonte:
- Foto e matéria sobre a obra descoberta: DN Artes
- Pesquisa sobre a vida de da Vinci: Wikipédia, Itaú Cultural, Museu do Louvre.
Fotos: Wikipédia
Links relacionados no blog: Leonardo da Vinci

2 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

Giovana Damaceno disse...

Genteee!
Estes cavalos me lembram os cavalos do Jader Mattos!!!

c i n t i a disse...

Com certeza! Ele deve ter se inspirado nesse estudo aí.
Muitos artistas tem estudos assim, mas os de Leonardo da Vinci são mais que sensacionais e definitivamente inspiradores!

Bjs!

ShareThis