sexta-feira, 18 de janeiro de 2008














Começo a conhecer-me.
Não existo.
Sou um intervalo entre o que desejo ser e ou outros me fizeram,
ou metade desse intervalo, porque também há vida...
Sou isso, enfim...
Apague a luz, feche a porta
e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor.

Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo.
É um universo barato.

[ Álvaro de Campos ]




>>> listening .......... massive attack//better things

3 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

POESIA EM VOLTA disse...

Ai, ai... esse Álvaro e sua mania de simplicidade pra falar tudo.
Lindo!

Giovana Damaceno disse...

Nooossa! Altíssimo nível na escolha do autor e total sensibilidade na escolha do texto. Parabéns!

lidiane disse...

Adoro essa poesia tbm... Aliás, Álvaro de Campos... (Fernando Pessoa)... não tem como não gostar.

ShareThis