terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Menos TV, mais arte.


Menos TV, mais arte.
Anúncio criado para o MASP, Museu de Arte de São Paulo, pela agência DM9.
Mas bem que poderia ser "mais arte na TV"!


O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras. Localiza-se, desde 1968, na Avenida Paulista, São Paulo, em um edifício projetado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi para ser sua sede.


Famoso pelo vão-livre de mais de 70 metros que se estende sob quatro enormes pilares, concebido pelo engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz, o edifício é considerado um importante exemplar da arquitetura brutalista brasileira e um dos mais populares ícones da capital paulista, sendo tombado pelas três esferas do poder executivo.


Instituição particular sem fins lucrativos, o Masp foi fundado em 1947 por iniciativa do paraibano Assis Chateaubriand e do ítalo-brasileiro Pietro Maria Bardi. Possui a mais importante e abrangente coleção de arte ocidental da América Latina e de todo o hemisfério sul, em que se notabilizam sobretudo os consistentes conjuntos referentes às escolas italiana e francesa. Possui também extensa seção de arte brasileira e pequenos conjuntos de arte africana e asiática, artes decorativas, peças arqueológicas etc., totalizando aproximadamente 8 mil peças. O acervo é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O museu também abriga uma das maiores bibliotecas especializadas em arte do país.


Quando a sede do Masp se fixou na Av. Paulista, foi preciso projetar um prédio no qual a vista da cidade fosse preservada, através do vale da Av. Nove de Julho. Foi então que Lina Bo Bardi, começou a idealizar o projeto.




Para preservar a vista exigida para o centro da cidade era necessário ou uma edificação subterrânea ou uma suspensa. A arquiteta optou por ambas as alternativas, concebendo um bloco subterrâneo e um elevado, suspenso a oito metros do piso. A construção é considerada única pela sua peculiaridade: o corpo principal pousado sobre quatro pilares laterais, resultando em um vão livre de 74 metros, à época considerado o maior do mundo. A inovação foi viabilizada pelo trabalho do engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz, que aplicou na obra a sua própria patente de concreto protendido.


O edifício, projetado em 1958, levou dez anos para ser concluído e foi finalmente inaugurado em 8 de novembro de 1968 na presença do príncipe Filipe e da rainha Elizabeth II, da Inglaterra, a quem coube o discurso de inauguração. Lina Bo coordenou a exposição de abertura intitulada "A mão do povo brasileiro", dedicada à cultura popular do país. A arquiteta inovou na forma de expor a coleção permanente, ao utilizar lâminas de cristal temperado amparados por blocos de concreto como suportes para as pinturas. Paradoxalmente, essa forma de exibição deixou de ser adotada pelo MASP no momento em que, no fim dos anos noventa, passou a ser estudada internacionalmente.

1 CLIQUE AQUI E COMENTE!:

Giovana Damaceno disse...

Concordo. Mais arte na TV seria interessante.

ShareThis